A costa de Napal é conhecida por seus bonitos recifes rajados de vermelho © raisbeckfoto / Getty

A aura sonhadora das ondas de Waikiki e o entardecer colorido de Diamond Head são marcantes. Misture a isso resorts de ponta, algumas das melhores lojas, restaurantes, arte e vida noturna, e você verá que não é nenhum mistério que a animada Honolulu seja com frequência a primeira e única parada dos viajantes no Havaí.

As verdejantes Montanhas Ko’olau, logo depois dos arranha-céus da capital, indicam alternativas de aventura a uma curta distância do centro. E graças à geografia do arquipélago (além de voos comerciais curtos, frequentes e confiáveis), é possível fazer viagens bate-volta a ilhas vizinhas.

Os 24km da autoestrada John A. Burns são uma linda conquista da engenharia © Royce Blair / Getty

Pearl Harbor, Oahu

Talvez o passeio mais popular de Honolulu seja a visita a Pearl Harbor e ao Monumento Nacional no Pacífico em memória da Segunda Guerra Mundial. A área possui quatro atrações principais que honram os memoráveis lugares atacados pelos japoneses durante a Segunda Guerra: o Memorial do USS Arizona, que flutua acima do navio afundado; o Museu e Parque do Submarino USS Bowfin; o Memorial do USS Missouri; e o Museu da Aviação de Pearl Harbor, na Ford Island.

Como chegar: A apenas 15km de Waikiki, é mais acessível chegar ao local por meio de transporte público, mas companhias de turismo facilitam o processo ao arranjar ingressos difíceis de serem conseguidos e desenrolar toda a burocracia envolvida quando se visita uma base militar ativa.

Centro de Oahu e a Costa Norte

Logo ao norte de Pearl Harbor, a Highway 2 serpenteia na direção da lendária Costa Norte da ilha, que pulsa com ondas épicas no inverno. Pelo caminho, faça uma parada nas sagradas pedras havaianas antes de explorar os campos de abacaxi da Dole Plantation.

Da cidade surfista de Hale’iwa, siga à esquerda na única estrada costeira para conferir as Waimea Falls e experimentar o café cultivado ali mesmo em um antigo engenho de açúcar e faça uma trilha entre ninhos de albatroz no Ka’ena Point State Park. Contorne o lugar, em direção às praias de surfistas e caminhões de camarão, e termine o dia assistindo a um espetáculo e luau no Centro Cultural Polinésio.

Como chegar: São cerca de 48km de Honolulu até Haleiwa, mas se planeje para uma viagem de uma hora e meia (sem paradas). Embora o transporte oferecido pela TheBus siga para a Costa Norte, você passará a maior parte do dia esperando seus veículos, cuja frequência é baixa; a melhor opção é alugar um carro.

As lagoas de Hanauma Bay oferecem um dos melhores lugares para prática de snorkel em Oahu © Valentin Prokopets / Getty

Hanauma Bay e Windward Oahu

Do outro lado do Diamond Head, o Hanauma, um cone vulcânico afundado que forma uma baía protegida e natural, fervilha de vida. Sua lagoa e seu recife criam o melhor ambiente para prática de snorkel em Oahu – lar de tartarugas marinhas, enguias, coloridos peixes-papagaio e humuhumunukunukuapua’a, o peixe do estado.

Visite a descolada Kailua, no Windward Side, para fazer compras em suas elegantes butiques de surfe ou alugue um caiaque para um piquenique nas Ilhas Mokolua, na Praia Lanikai. Antes de voltar, visite o Vale dos Templos, a fim de explorar a tranquila Bayodo-in – uma recriação de um templo budista tombado pela Unesco em Uji, no Japão, na base das montanhas cobertas de florestas.

Como chegar: O serviço de transporte público TheBus atende essa rota; também é possível pegar um Uber ou Lyft.

A costa de Napal é conhecida por seus bonitos recifes rajados de vermelho © raisbeckfoto / Getty

Costa Napali, Kauai

O voo para Kauai dura apenas 35 minutos, mas a lembrança que você terá dos penhascos cheios de cachoeiras da Costa Napali será eterna. Barcos a vela e catamarãs partem de vários portos ao sul para cruzeiros de um dia ou para contemplar o pôr do sol.

Se você optar por um passeio mais tarde, passe a manhã explorando as pedras rajadas de vermelho do Cânion Waimea – com quase 11 mil metros de comprimento, ele é quase tão profundo quanto os penhascos são altos. Ou se estiver a fim de esbanjar dinheiro, passeios de helicóptero oferecem ao visitante vistas espetaculares e eventualmente são combinados com excursões terrestres.

Como chegar: Voos partem de Honolulu para Lihue a cada hora todo dia. Dali, alugue um carro ou contrate um passeio que o pegue em Lihue.

Visite a Igreja Católica de Santa Filomena, em uma trilha para o Parque Nacional de Kalaupapa © Alvis Upitis / Getty

Parque Histórico Nacional de Kalaupapa, Molokai

Você precisará acordar cedo se quiser visitar o remoto Parque Histórico Nacional de Kalaupapa da maneira tradicional. Mulas de passo firme começam sua descida de 4,5km pelos penhascos marinhos mais altos do mundo às 8h da manhã. Entre o fim da década de 1860 e o fechamento da área em 1969, milhares de pacientes com hanseníase e seus cuidadores tiveram de adotar esse isolado lugar como lar. Hoje em dia, a região é um parque nacional que permite aos visitantes passearem por prédios da vila, cemitério, pela velha igreja, por um antigo heiau (templo) havaiano e, às vezes, até mesmo visitarem antigos pacientes.

Como chegar: Voos diários partem de Honolulu para o Aeroporto de Molokai, em Ho’olehua. Pegue um táxi até o início da trilha. Se um passeio de mula lhe parecer instável, há a opção de voos diretos (mas em número limitado) que saem dos aeroportos de Honolulu e Molokai e aterrissam em uma pequena pista no local. Licenças são exigidas para tal e as visitas devem ser pré-agendadas.

O ativo vulcão Kilauea é uma das vistas mais espetaculares do Havaí © Sami Sarkis / Getty

Vulcão Kilauea, Ilha Havaí

Maior que todas as outras ilhas combinadas (mais de seis Oahus poderiam caber ali), seria impossível conhecer a Ilha Havaí em um único dia. Em vez disso, concentre-se em visitar seu indiscutível destaque: Kilauea, o vulcão mais ativo do mundo.

O Parque Nacional de Vulcões do Havaí, com bancos de enxofre fumegantes; lago de lava endurecido, onde é possível fazer trilhas na cratera Kilauea Iki e formações extraordinárias ao longo da estrada Chain of Craters, é o melhor lugar para começar sua exploração na ilha. Caso tenha tempo, descubra os impactos do Kilauea fora das fronteiras do parque, incluindo o novo show do Pahoa Lava Zone Museum – um espaço organizado por voluntários que detalha a destrutiva erupção ocorrida em 2018, que durou quatro meses. Também são notáveis a estação de transferência de Pahoa, onde a lava parou subitamente ao longo de uma cerca, em 2014; e Phoiki, a mais nova praia de areia preta do mundo.

Como chegar lá: É um voo de 50 minutos de Honolulu para Hilo. Passeios partem de Hilo para o Parque Nacional de Vulcões do Havaí, ou se desejar uma flexibilidade maior, alugue um carro. São 45 minutos na direção sul até o Parque Nacional e mais 45 do parque até Pahoa.

A rodovia Hana é repleta de pontes estreitas, curvas fechadas e vistas incríveis da ilha © MNStudio / Getty

Estrada para Hana, Maui

É um passeio demorado e popular dirigir pelos mais de 75km da icônica rodovia Hana, ao redor do leste de Maui, em Pa’ia, até o final da estrada em Hana. Ainda assim, uma viagem ao longo das 620 curvas e 59 pontes pode ser uma atividade destaque do Havaí. A paisagem verdejante conta com cachoeiras mergulháveis, maravilhosas vistas da costa, barracas de frutas à beira da estrada, tubos de lava e jardins botânicos.

Como chegar: Dezenas de voos diários de 43 minutos de duração conectam Honolulu a Kahului. Alugue um carro no aeroporto ou contrate uma das diversas companhias de turismo para pegar a sinuosa estrada sem precisar manter os olhos na pista.

Fonte: Lonely Planet Brasil 

Share This