Os amantes de arte têm muito o que ver em Buenos Aires. © Gabriel Rossi / Getty Images

Cidade cosmopolita com uma importante história e, consequentemente, com grande legado artístico, Buenos Aires possui um extenso currículo cultural. Os amantes de arte se deliciarão com o que a Paris da América do Sul tem a oferecer!

Confira atrações e atividades artísticas favoritas que conectam o passado e o presente dessa metrópole.

Os amantes de arte têm muito o que ver em Buenos Aires. © Gabriel Rossi / Getty Images

Caminhe pela rua que nunca dorme: Avenida Corrientes

O teatro realmente floresceu na Argentina no início do século 19, quando se tornou acessível às massas. A Avenida Corrientes serviu como coração dessa explosão artística e continua sendo o principal centro teatral de Buenos Aires, lar de diversas casas de espetáculo e cinemas. Os visitantes podem conferir todo tipo de performance ao vivo aqui, mas a mais popular é o teatro de revista, uma mistura de comédia, música e dança. Muitos artistas sonham em se apresentar na Corrientes, e os mais famosos conseguem colocar o seu nome na Calçada da Fama.

Assista a uma apresentação na animada Avenida Corrientes. © Emilia Schneider / Lonely Planet

Descubra a Buenos Aires dos filmes

Buenos Aires já apareceu muitas vezes na tela grande: a sacada da Casa Rosada serviu de cenário no filme Evita (1996) enquanto algumas cenas de O Segredo dos Seus Olhos (2009) foram filmadas em Tribunales. A cidade também é o coração da indústria cinematográfica argentina: se decidir visitar Buenos Aires em abril, compareça ao Festival Internacional de Cinema Independente de Buenos Aires para assistir a películas de vanguarda nos cinemas da cidade.

Maravilhe-se com o esplendor do Teatro Colón

Essa casa de ópera foi inaugurada em 1857, embora seu atual (e magnífico) prédio tenha sido construído em 1908, e, desde então, se tornou o centro da cena artística de Buenos Aires. Considerada uma das melhores salas de concerto do mundo, recebe diversos artistas argentinos e internacionais. O seu interior suntuoso faz o visitante viajar no tempo, de volta à época em que teatro era o lugar para ver e ser visto. Garanta um ingresso para conferir uma performance ou faça um tour pelos bastidores do teatro, a fim de aprender sobre a interessante história do prédio.

O interior do Teatro Colón é um banquete para os olhos. © Emilia Schneider / Lonely Planet

Explore a história da arte argentina no Museu Nacional de Belas Artes

Buenos Aires é o lar de diversos museus de arte de alta qualidade, mas o Museu Nacional de Belas Artes é, com certeza, um dos melhores. O seu prédio, que costumava ser uma estação de bombeamento de água – acredite ou não, hoje abriga uma enorme coleção de arte com alguns dos mais renomados artistas argentinos (incluindo Eduardo Sívori e Antonio Berni) e mestres europeus como Picasso e van Gogh.

Aprenda a história secreta do tango

Claro que o tango está profundamente enraizado na herança cultural da cidade. Essa tradição nasceu nos cafés e salões de baile dos bairros pobres na década de 1880, quando muitos imigrantes europeus chegavam a Buenos Aires. A dança logo ganhou destaque, sua sensualidade e seu nível técnico atraíram a elite local da época. Hoje, San Telmo funciona como centro da comunidade do tango, e uma viagem a Buenos Aires não está completa sem uma visita a uma milonga (casa de tango). Assim, vá à Maldita Milonga para ver o melhor da cena de tango da cidade.

O tango é parte da herança cultural de Buenos Aires. © Emilia Schneider / Lonely Planet

Faça um tour artístico com a Gallery

Tours artísticos são uma ótima maneira de explorar a cidade, uma vez que os visitantes são levados a cantinhos escondidos repletos de arte local. A Gallery organiza um circuito gratuito pelos corredores artísticos de Buenos Aires algumas vezes por ano; e os participantes podem escolher entre itinerários que exploram diferentes regiões da cidade, passando por museus e algumas das mais descoladas galerias.

Aprecie o icônico fileteado

A arte de Buenos Aires não se limita às galerias. Fileteado é o nome dado a um estilo  de caligrafia – caracterizado por cores vivas, fontes detalhadas e linhas orgânicas –, que foi usado pela primeira vez como decoração de vagões de trem no início do século 20. Desde então, o fileteado evoluiu e se tornou o símbolo artístico da cidade, sendo declarado Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco em 2015. Caso queira apreciar essa icônica arte, visite os bairros Almagro, San Telmo e La Boca.

É possível apreciar o fileteado em vários lugares de Buenos Aires. © Emilia Schneider / Lonely Planet

Crie seu próprio itinerário de arte urbana

Há muitos modos de expressão de arte urbana, e os grafites e murais de Buenos Aires têm se tornado, cada vez mais, atrações turísticas. Inspirados pela cena grafiteira e de arte de rua do Bronx, artistas criaram peças enormes que decoram paredes por toda a cidade, especialmente nos bairros de Palermo e Colegiales. Passeie por esses lugares e veja o melhor dessa estupenda arte.

Esculturas expressivas no cemitério da Recoleta

O cemitério da Recoleta, uma das principais atrações de Buenos Aires, é famoso por causa dos notáveis que ali descansam e das impressionantes esculturas que acompanham os mausoléus dessa enorme necrópole. Caminhe pelas ruas sepulcrais, para apreciar o talento por trás de cada uma das estruturas – a maior parte construída ao longo de décadas por famílias ricas que, claramente, não poupam dinheiro quando o assunto é arquitetura funerária.

Estátua no sombrio e fotogênico cemitério da Recoleta. © Emilia Schneider / Lonely Planet

Aprenda sobre os artistas locais de La Boca

La Boca é conhecido por sua história de imigração, já que era o principal porto de Buenos Aires, por onde chegaram muitos imigrantes europeus no início do século 20. Vá ao Caminito, repleto de conventillos (casas coloridas), e passeie pela famosa rua que um dia foi lar de um dos mais famosos artistas argentinos, Benito Quinquela Martín, cuja arte retrata o dia a dia do bairro nas primeiras décadas do século 20 – aproveite para ver os trabalhos desse artista de perto

Fonte : Lonely Planet Writer /Emilia Schneider

Share This